5 minutos de leitura! 📖

Como se faz o autoexame da mama?

Diagnóstico do Cancro da Mama

Exame de mama 2022

É muito importante fazer exames de rastreio, antes de surgirem quaisquer sinais ou sintomas; só assim poderá ajudar os médicos a detetar e tratar mais cedo o cancro. Se o cancro for detetado precocemente, a probabilidade do tratamento ser eficaz e bem sucedido é muito mais elevada.

Incluir o autoexame da mama na sua agenda poderá permitir que identifique de forma precoce um cancro da mama – o que aumenta as hipóteses de o tratamento ser eficaz. Por isso, aprenda a fazê-lo, seguindo estas regras.

Um dos principais fatores que contribui para a identificação precoce de alterações na mama é a autopalpação da mama que deverá ser feita regularmente.

Em Portugal, o Ministério da Saúde recomenda a realização de rastreio de cancro da mama, utilizando mamografia a cada 2 anos em mulheres com idade superior ou igual a 50 anos até aos 69 anos (inclusive).

A mamografia mostra, muitas vezes, um nódulo ou microcalcificações (agregados de pequenas partículas de cálcio) antes que este possa ser sentido ou palpado.

Se o médico identificar uma área anormal, pode pedir que seja repetida a mamografia num determinado período de tempo ou pode, ainda, ser necessário fazer uma biópsia. A biópsia é o único processo através do qual se podem ter certezas quanto à existência de cancro.

SINTOMAS

Qualquer alteração na mama ou no mamilo, quer no aspeto quer na palpação;

Dor ou desconforto mamários que não desaparecem.

Nódulos ou espessamentos mamários;

Alterações da pele da mama;

Alteração do tamanho ou formato da mama;

Inversão ou retração do mamilo, de aparecimento recente;

Secreção ou perda de líquido pelo mamilo;

Vermelhidão no mamilo, corrimento mamilar recente ou de apenas uma das mamas;

Inchaço ou nódulo na axila;

Quando fazer o autoexame da mama

A partir dos 20 anos: no terceiro ou quinto dia após a menstruação;
Se já não for menstruada: deve escolher uma data fixa do mês para o autoexame;

Como fazer
Em frente do espelho

Com os braços levantados, com os braços ao longo do corpo e de perfil: observe a mama e o mamilo, estando atenta ao tamanho, forma, cor e crostas – especial atenção no caso da pele parecer inflamada, avermelhada ou com aspeto de casca de laranja – ou se existe corrimento ao pressionar o mamilo (muitas vezes o corrimento é benigno, mas há casos em que está associado ao cancro da mama);

Deitada

Com uma almofada por baixo do ombro, palpe a mama esquerda utilizando a mão direita (a mão esquerda deve estar a apoiar a nuca). Repita o processo com a outra mão;

 

Método das linhas verticais

Passe os dedos de baixo para cima e de cima para baixo até percorrer todo o seio.

Método dos círculos concêntricos

Partindo da parte de cima do seio, descreva círculos concêntricos no sentido dos ponteiros do relógio.

Método do relógio

Divida o seio em seis segmentos imaginários e, a partir da parte de cima (como se fosse nas 12 horas), desça até ao mamilo fazendo pequenos movimentos circulares. Repita nas restantes divisões imaginárias.

Verifique os gânglios linfáticos

No final, palpe ainda as axilas, procurando a existência de gânglios ou nódulos. Se notar alguma alteração, deve consultar o ginecologista.

 

Atenção: Material de caráter informativo, de divulgação e educação sobre temas relacionados com saúde, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde.